sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Querido, mudei os móveis (de sítio)

Porque não sou uma coitadinha a viver do rendimento mínimo, ou a quem morreu o marido ao final de 6 meses de casamento, não tenho filhos deficientes, nem amigos suficientemente porreiros que embarquem na farsa de me inscreverem no “Querido, mudei a casa” (eu juro que seria uma óptima fingidora, assim que visse a casinha linda e maravilhosa desataria a dar gritos histéricos e risinhos nervosos e bateria palmas e diria muito obrigada queridos, vocês mudaram a minha vida), sou obrigada a fazer um Querido caseiro.


Por isso, este fim-de-semana vai ser de labuta intensa: toda eu serei pincéis, sprays, jornais, músculos (sim, que mudar móveis de sítio não é para todos), unhas encardidas, parafusos, qual picheleira de primeira (sempre sonhei utilizar a palavra picheleira num texto, confesso). Claro que dispenso a parte eléctrica, que uma mulher não é perfeita e quero continuar a ter um sítio onde viver.


O Querido caseiro deverá terminar no Domingo e, se isso acontecer, se tudo ficar como exigentemente planeado, reagirei como se estivesse no programa (lágrimas à mistura).


Desejem-me sorte, sim?

4 comentários:

Unknown disse...

boa sorte:)

margarida disse...

Boa sorte! Vai correr bem, vais ver!

redonda disse...

Boa sorte. Espero que tenha corrido bem.

Sol disse...

Correu lindamente! :)